Organização Ofensiva

Palestra realizada no 46º curso de treinadores do SITREFESP

Organização OfensivaNesta semana ocorre o 46º curso de treinadores do Sindicato dos Treinadores de Futebol do Estado de São Paulo (SITREFESP) aqui em São Paulo. Recebi o convite há mais ou menos 2 meses, através do Professor Bebeto Stival. O professor Bebeto é um grande colaborador do Futebol Inteligente, sempre presente aqui com seus comentários e sempre nos ajudando com as divulgações dos textos aqui publicados.

Com a coordenação dos professores Nogueira e Agnaldo Vignati, juntamente com o Prof. Bebeto, o curso tem passado por modificações, visando trazer mais conteúdo para os alunos e pude perceber esta mudança nesta edição. Todos os palestrantes trazendo conteúdos de relevância, com embasamentos na ciência ou em estudos profundos sobre os temas. E pude perceber que esta melhora foi bem vinda e está sendo bem realizada, pois o curso está com aproximadamente 100 alunos, vindos de diferentes partes do Brasil e até do mundo, como o Diretor Técnico da seleção do Paquistão (Que inclusive é formado com licença A na UEFA). Agradeço muito ao SITREFESP por confiar em mim e no Futebol Inteligente para palestrar e contribuir com este evento!

Bem, comecei a palestra dizendo que ela seria uma homenagem a seleção de 1982. Uma seleção que jogava um futebol bonito, para frente. Mas eu gostaria de chamar a atenção para um detalhe: a seleção de 82 tinha muitos CONCEITOS ofensivos por trás da grande qualidade técnica de seus jogadores. Ela não era somente formada por craques. Ela tinha grandes IDEIAS a respeito de um jogo ofensivo. E então eu passei este vídeo aos alunos:

Então passei a discutir o porquê da escolha deste tema para a palestra. E tenho alguns motivos que eu gostaria de mostrar a todos. Um deles é o fato de a Copa do Mundo de 2014 ter sido muito elogiada por seus jogos com qualidades ofensivas, muitos gols na primeira fase, equipes com muitos conceitos. E tudo isso aqui na “nossa casa”. Pudemos ver de PERTO tudo isso!

Outro motivo foi o Campeonato Brasileiro deste ano. Você sabe que o nosso campeonato nacional é o que tem a menor média de gols quando comparado com as outras grandes ligas do futebol mundial (Espanhol, Alemão, Inglês, entre outros). No entanto, nesta temporada tivemos uma boa melhora na qualidade dos jogos por aqui. A mídia e a torcida elogiaram por um grande período que este campeonato estava tendo jogos melhores, com melhora da qualidade técnica. E isso, na minha opinião, se deve há mudança de ideias ofensivas de algumas equipes nesta temporada. Equipes com conceitos melhores no que diz a sua organização ofensiva.

E outro motivo é ver que no Brasil, tanto no profissional quanto na base, a maioria dos treinadores e das equipes pensando em jogar fechados e buscar apenas os contra ataques. O famoso jogo “por 1 bola”. E me preocupa muito ver que muitas equipes das categorias de base que jogam fechadas em 2 linhas de quatro e quando atacam sobem apenas com 4 jogadores contra seus adversários. A organização do jogo está sendo pensada somente no momento DEFENSIVO por aqui. Precisamos trabalhar mais e pensar mais a ORGANIZAÇÃO OFENSIVA!

E a realidade do futebol brasileiro é a seguinte: Defender com 6 e atacar com 4, deixando um grande espaço entre esses dois blocos. Além de ter a construção do jogo através de muitas bolas longas. Então, mostrei essa edição da seleção brasileira no jogo contra o Chile, pela estreia nas eliminatórias.

E então falamos de como está diferente as ideias de construção de jogo e de como chegar ao gol adversário por parte da nossa seleção, comparada com a de 1982. E com isso, devemos perceber que perdemos, de um modo geral, o nosso “DNA” ofensivo, o qual fez este país ser admirado no mundo todo pelo seu “JOGAR” no futebol. No entanto, muitas equipes de outros lugares fizeram o contrário, pegaram diversas ideias nossas de jogo e começaram a crescer e evoluir no futebol. Recentemente fiz uma edição das ideias ofensivas da equipe do PSG contra o Real Madrid, o que fez com que eu tivesse uma maior admiração por essa equipe europeia.

Clique aqui para ver o vídeo do PSG

Então falei a respeito de alguns treinadores os quais tiveram equipes com ideias ofensivas interessantes. O atual campeão brasileiro Tite, que reformulou bem a organização ofensiva da sua equipe durante esta temporada, tendo ideias de jogo diferentes de temporadas passadas. Levir Culpi, que há dois anos vem trazendo um Atlético MG com muita mobilidade no ataque e sempre buscando o gol adversário. Roger que mudou o estilo de jogo do Grêmio, com triangulações e muitas trocas de passes em prol do gol adversário. Mano Menezes, que assumiu uma equipe do Cruzeiro fadada ao rebaixamento e conseguiu organizá-la e lutar no final do campeonato por uma vaga no G4. Por coincidência ou não, os 4 treinadores citados recentemente estiveram se atualizando no exterior ou aprendendo com trabalhos fora do nosso país.

No entanto o destaque em Organização Ofensiva neste ano, para mim, foi Juan Carlos Osório. Osório possui ideias diferentes sobre o momento ofensivo do jogo. Ideias que não vemos aqui. As novidades de Osório não são suas anotações, canetas em azul e vermelho, rodízio de jogadores, como foram muito falados por parte da imprensa. Essas coisas já existem aqui há muito tempo, principalmente nas categorias de base. Juan Carlos Osório trouxe uma ideia de Bloco Ofensivo muito forte, com uma compactação extrema da equipe no campo de ataque. Logo mais você poderá ver isso com seus olhos nos vídeos que foram exibidos na palestra.

Então comecei a falar sobre alguns conceitos (ou princípios) que eu julgo importantes para uma boa organização da equipe quanto está com a bola e quer buscar o gol adversário. Todos esses conceitos foram exemplificados com ilustrações e com vídeos. Nos vídeos procurei mostrar as seguintes equipes e com os seguintes propósitos:

– Corinthians (Atual campeão brasileiro)
– São Paulo (Durante o comando de Osório)
– Bélgica (Atual líder do Ranking da FIFA)
– EUA (Mesmo com baixa qualidade técnica, tem alguns conceitos interessantes)
– Seleção Brasileira de 1982 (Diversos conceitos, além da técnica dos jogadores)
– Coritiba Sub 19 (Equipe das categorias de base com boas ideias ofensivas)
– Novorizontino Sub15 de 2014 (Mostrar que é possível estar em uma equipe pequena, na base e buscar trabalhar esses conceitos)

Durante os vídeos, fui falando sobre cada um dos conceitos e das jogadas que iam acontecendo. Exaltei também a ideia de se ter INTENSIDADE (palavra da moda) quando a equipe está com a bola. Isso porque muitas pessoas pensam na intensidade apenas com a equipe sem a bola. E perdi um tempo maior para mostrar o conceito de bloco ofensivo. Nota-se que o São Paulo jogava com seus zagueiros, por diversas vezes, muito a frente da linha do meio de campo. Rogério Ceni muito adiantado, fazendo a cobertura da sua defesa. E isso, vale lembrar, não aconteceu apenas em jogos contra times pequenos. No vídeo procurei mostrar que o time de Osório jogava contra o Corinthians, campeão brasileiro!

Lógico que para se posicionar desta maneira, deve-se ter outros conceitos referentes a outros momentos do jogo, como pressão após a perda da bola durante a transição defensiva (Pressionar de maneira intensa o jogador adversário que está com a posse da bola logo após a minha equipe ter perdido ela). E nisso coloco um momento do P.H. Ganso fazendo essa pressão, recuperando e criando logo em seguida um lance perigoso a favor da sua equipe. O trabalho de Osório estava em início de construção e já víamos até este tipo de comportamento, inesperado em um atleta como o camisa 10 do São Paulo.

O Futebol é sistêmico, mas procurei isolar os conceitos para melhor entendimento por parte dos alunos. Mas diversos lances do vídeo, é possível ver as equipes com vários conceitos ao mesmo tempo, tanto que há lances iguais, para exemplificar conceitos diferentes.

Após isso tivemos a aula prática para buscar entender como podemos trabalhar esses conceitos através de jogos.

Peço desculpas ao texto longo, mas não consegui escrever de maneira sucinta um tema de muita relevância para mim! E para você que conseguiu chegar com paciência até o final desta leitura, poderá baixar o arquivo da apresentação em PDF, logo abaixo do texto.

E você, o que achou deste tema e da palestra?

Ajude-nos a fazer um Futebol Inteligente! Um futebol pensado diferente!

Grande abraço

 

Anexos

Deixe seu Comentário

2 opiniões sobre “Organização Ofensiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *